sábado, dezembro 31, 2005

Mensagem de A no Novo

Caros internautas, mais um ano que acaba e outro que começa. É tempo de balanços, de resoluções e de champanhe... mas, mais uma vez, acho que vou passar a oportunidade.

Este ano, e contrariando 3 convites de festa, vou passar o fim de ano em casa, com os pais.

"Tótó! Então porquê?" perguntam. Porque, para além de nenhum desses convites ser para uma anti-festa, onde pessoas deprimidas se juntam para "celebrar", logo nada de muito aliciante, é também por não ver o interesse de o celebrar. Tantas festas de antigamente desapareceram da nossa memória, e festas essas muito mais apelativas e divertidas, estou agora a lembrar-me das Bacanalias, em honra do deus Baco. Todas viram o seu fim mais cedo ou mais tarde, a celebração de fim de ano não será excepção e será, a seu tempo, aconchegada pelo manto do esquecimento. Nessa altura dirão, em tom de celebração póstuma: " 'A' era um visionário, um gajo fora de tempo, descompassado mesmo!" (:p)

É claro que digo tudo isto salvaguardando que, mais forte que a tradição, é o consumo e ai, tudo é possivel.

Mensagem oficial (des)inspirada de passagem de ano por parte do A:
"Este foi-se. Onde estão os outros? Entre ramo e terra há lugar"

4 comentários:

A disse...

:)

Josue disse...

Eu, ao contrário de muitos anos, nesta passagem de ano não vi nada suficientemente asqueroso que me fizesse querer partilhar isso no brain. Foi uma passagem de ano bastante suave...

A disse...

eu trouxe uma coisa deste dia 31 e respectiva passagem para o dia 1, uma coisa que achei razoavel. um dia gostaria que fosse boa e de a partilhar com toda a gente.

(mas é só mais um sonho dos meus)

Josue disse...

Coisas boas... numa passagem de ano? É raro acontecer, pelo menos a mim, normalmente nessa noite bato no fundo. Claro que não é um fundo muito fundo, mas suficientemente fundo para estar triste. No entanto, esta não foi má... talvez por ter sido uma oportunidade de ultima hora e as minhas expectativas serem bastante baixas antes do convite. Quando esperas o pior, tudo são boas noticas, ou pelo menos... menos más... ;)