quarta-feira, junho 02, 2010

Quadras de Santo António

Este ano, que me encontro numa terra diferente, de tradições exóticas e peculiares, vejo-me obrigado a integrar nos costumes próprios dela. Felizmente existem alguns pontos comuns, um deles são as quadras! Aqui ficam algumas, numa tentativa de me misturar com os indígenas.

Santo António de Lisboa
Está aí a tua festa
Vejo tanta gaja boa
Não há alegria como esta

Do alto do pinheiro
Vi lá em baixo Santo António
Gritava "Dá-me o dinheiro,
Ou armo aqui um pandemónio"

É noite de Santo António
As ruas enchem-se de gente
As sardinhas são boas
Mas eu cá gosto é de aguardente

9 comentários:

Homem dos balõezzz disse...

Tá tudo muito lindo, mas tens ali um erro de ortografia. Escreveste pandemónio quando sabes muito bem que se escreve pédemónio.

Senhora do pito disse...

já gostei mais do Santo António. Uma vez estava eu numa marcha, a cantar e rir e eu virei-me por trás, e um homem vestido de santo disse-me "dá-me o pito!" foi o estilo que ele falou. e eu dei-lhe o grito, "nããooooooo"

Senhora da Ómidade disse...

Tens que ter cuidado nos santos é por causa da ómidade. Nem é por causa das mines nem do vinho, é a ómidade é que é pior. A ómidade.

Senhora do cemitério disse...

com a ómidade e com os tóxico independentes, o coveiro ainda vai atrás de alguns, mas nas marchas são muitos tóxico independentes e roubos, e não é muitos, e não são poucos. num é? bastantes

Sindicalista anónimo disse...

Eu disse-lhe que se algum problema houver com os santos populares, o meu amigo tá credenciado tá mandatado para acabar com aquilo tudo.

- É verdade ou é mentira, Brandão?

Brandão disse...

É mentira!

Vani disse...

Uéi???? foste invadido?

Vani disse...

Gosto mais das botas cardadas que palmilham léguas sem fiiiim. E de ver futebol a comer camarões com muita maionaise, que é para não saberem a camarões.

E de saltar a fogueira, torcer o pé e queimar-me nas brasas, também.

E do cheiro dos manjericos.

Isa disse...

A sério! qué que se passa aqui???