segunda-feira, novembro 09, 2009

Reviver o passado como se fosse o futuro relativamente ao passado!

Sábado, Maio 05, 2007
NOP - Houston, we have a problem

47 comentários:

A disse...

...suspiro

Pax disse...

Perdeste a geringonça?

PWFH disse...

Houston, we have a drinking problem!

AD disse...

"Houston, we have a problem" era o que o Bobby Brown dizia à Whitney antes de lhe aviar uma solução.

Isa disse...

Falta de gravidade?


Acho este desenho lindo!

Nawita disse...

Opá que giro! E a expressão dele está muito boa! É que realmente não vejo de que outra forma poderia ele reagir!
Se fosse comigo seria um misto de pânico e alegria, mas isso sou eu que não regulo muito bem!

grassa disse...

Isso é a tua forma de dizer que tens espaço para mim na tua vida?

Isa disse...

Á pois! Para o Grassa, tudo, não é?

E nós?

Vani disse...

Ena, o teu astronauta provou a existência de multi-universos!! O limite do quadradinho corresponde à espuma quântica, certo?? :D

A disse...

A resposta é "sim!" a todos vós!

Vani disse...

Ena, que consonância! Facilitámos a resposta ao A! :D Mas, acredita que não foi de propósito (pelo menos conscientemente). Vá, vá lá acabar de pintar a casa :D.

Anónimo disse...

Houston, we don't have a problem, we have many problems. lol


Have a nice day.

Serenna

Vani disse...

Espera, espera, espera...esse é o Armando Vara, certo? E tu, que na altura previste tudo, como te sentes por ser detentor da razão? (e da tecnologia de viagem pela espuma quântica?...)

Pax disse...

A, "A resposta é "sim!" a todos vós!"
Detesto homens fáceis!!! :):):)

Vani, espuma quântica é aquela coisa branca que fica a boiar na banheira quando tomamos um bom banho?

:)

Vani disse...

Pax, essa espuma só é fixe no verão ou num jacuzzi ihihih. Infelizmente, não tem nada a ver. É uma teoria que os físicos arranjaram agora para explicar certas coisas que, de outra forma, não teriam explicação. É mais ou menos como os números imaginários, em que i é a raiz de menos um (e se bem nos lembramos, para quem ainda se recorda da matemática de 12º, não existem raizes de números negativos...vai daí criou-se o conjunto dos números reais, para incluir os imaginários...para os matemáticos isto faz sentido...). Como embirraram que tinham de existir raizes de números negativos, vá de criar o i, que é igual a raiz de menos um. A espuma quântica é uma cena do género que existe entre as partículas que constituem os átomos (não existindo um espaço vazio, como antes se pensava). Segundo esses cromos, também existem propriedades no universo (e eles conhecem o universo todo, não é?), ou certas picuinhices da teoria da relatividade, que só podem ser explicadas mediante a existência de multi-universos. Depois, segundo o Michael Crichton (que se baseou em na sei quem), é possivel viajar entre esses universos, através da espuma quantica. Tudo porque existem universos muito parecidos com o nosso, senão praticamente iguais, pelo que a probabilidade de em alguns se dar o mesmo que se dá no nosso leva a que se possa reconstituir algo nesses universos. Ou seja, se te desmaterializassem neste universo, e enviassem a tua informação molecular e atomica pela espuma quantica, o universo alternativo usaria as referencias e probabilidades de remontagem da tua pessoa (que existissem nesse mesmo universo) para reconstituir o ser. Ou seja, é como enviar um fax. Em vez de se usarem ondas, como nós usamos aqui, usa-se a espuma quantica.
Percebeste agora? Eu cá não. Queres-me explicar?? :D

Isa disse...

Vani... estou pasma, mulher!

Quer dizer então que existe a possibilidade de me materializar em universos alternativos, bastando que para isso seja a minha informação molecular e atomica enviada através da espuma quântica, qual um fax? Percebi bem?

Pá! mas isso é muito interessante!

Isa disse...

... outros dirão perigoso, no entanto.

Espero que os universos alternativos não sejam muito selectivos ....

Vani disse...

LOL, Isa, se gostaste, lê o Resgate no Tempo, do Michael Crichton. Gira à volta disto (onde é que achas que aprendi esta algaraviada???). Se bem que o conceito não seja bem o viajar no tempo, mas o de viajar para um universo alternativo igual ao nosso que ainda não está no mesmo ano que este. E o corpo que é reconstruído no outro lado, vem de dados que esse outro universo pode fornecer em termos de probabilidades de ser assim que o corpo deve ser reconstruido. Nunca ficarias igualinha a ti própria, embora fosses muito parecida. Poderiam também ocorrer erros de transcrição e, ao fim de um tempo, acabares com dentes a sairem-te das costas... :D

Vani disse...

A mim é que ninguém decompunha e voltava a compor. E se viajasse uma Mosca comigo, hãn??? No way!!!

Na vida real, já se conseguiu tele-transportar um átomo, acho que de cálcio?...é o mais longe que se consegue ir.

Vani disse...

Eu sabia que havia de conseguir soltar a croma que há dentro de mim. Pai!!! Aquele que dorme, acordou!!! Mas, em breve voltará a adormecer. Isto é só quando é mesmo muito preciso. :D

Nawita disse...

Vani,
LOL

Não me importava nada de viajar para um universo alternativo, mesmo que tivesse dentes nas costas. Se eles lá estavam é provavelmente porque ia precisar deles nesse universo. As coisas não acontecem à toa! Nunca viste The Twilight Zone? Alguns episódios eram sobre mundos paralelos.

Se bem que acho um pouco pretensioso da nossa parte achar que existem universos alternativos parecidos com o nosso em que falam inglês. Preferia algo muito diferente, mas enfim, vira o disco e toca o mesmo!

Nawita disse...

Alguém quer um Golden Retrivier? Bebé e bonito? grátis?

A disse...

whooooho!!! ainda dizem que aqui não se aprende nada... :p

eu quero ir para um universo que não seja um inferno. onde é que é a agência de viagens?

eu quero, nawita, mas não posso!

Nawita disse...

A,
Say no, say no more!
Tens compromissos e estás agora a iniciar uma nova vida, queres melhor do que isso? Impossível!
Eu não tenho nada a perder e estou pronta a ir, mesmo com dentes nas costas. Quem souber onde se compra bilhete avise. Eu mando um postal!

Nawita disse...

ah estavas a falar do cão! ok.
epá mas fala por aí, pode ser que alguém queira, são 6 ao todo.

A disse...

o que eu mais faço é falar por aí. :p

Pax disse...

Vani,
Também estou pasma! Eu também pensava quando era pequena que me materializaria pela espuma abaixo para dentro do cano se aquilo não tivesse um buraquinho tão pequeno mas nunca pensei que isso pudesse mesmo ter um quase-equivalente! ;)

As coisas que tu sabes! Parecia que estava a ler um daqueles livros do JRSantos, do professor Tomás às voltas com as teorias para salvar o mundo! É que quase compreendi o que escreste! Quase-quase mesmo!

Agora a sério: não cheguei a ter matemática no 12º... mas a forma como explicaste foi brilhante!

Pax disse...

Ah! E acredito que o teleporte seja o transporte do futuro. Muitos acabarão por chegar ao destino com umas pernas que não lhe pertenciam na partida ou sem cabeça mas fará parte dos primeiros tempos, assim como os 1ºs carros pegavam com manivela ou os 1ºs aviões só voavam 200 metros, mas lá chegaremos, não tenho a minima dúvida :)

A disse...

isso, juntamente com os cyborgs zombies, pax.

Pax disse...

Com o que quer que seja, A!
Já pensaste se o teu tetra avô olhasse pra cima e visse um Boing?! Achas que acreditaria que aquilo era real? Achas que acreditaria que estava a levar pessoas para o outro lado do oceano?
Achas que se te visse aí a martelar uns cubinhos com umas letrinhas acharia que me estavas a responder de tão longe?

A disse...

eu acho que ficava pior que o meu tetravô, ao ver um homem com mais de 200 anos, a conseguir olhar para cima sem se queixar das cruzes.

Nawita disse...

A,
Os homens de antigamente não se queixavam das cruzes, era gente rija! Não andavam de avião, iam a pé ou de burro, e chegavam ao destino!

A disse...

toda a sua vida estava condicionada pela distância de uma caminhada de burro. bons tempos!

Nawita disse...

não sei se o burro concordaria contigo, mas sim, naquela altura é que se dava valor às coisas.
A malta jovem agora tem tudo à mão e já não dá valor a nada.

Pax disse...

Pois é! E já o burro dele era uma inovação se comparado com os antepassados que nem burro tinham!

(Ó que conversa! Lol)

gomas disse...

Esta semana não há BD na cabra? Foste despedido?

A disse...

não tive tempo de a fazer :(

Vani disse...

Nawita, na verdade eles falavam francês e inglês arcaico! Occitan, é o nome. Pelo meio, inglês americano. Claro que tudo isto estava traduzido em português,por isso não há dificuldades na leitura... :D

Vani disse...

AAAAAAAAAAAAAH, eu não quero os meus amigos blogueiros com dentes nas costas das pernas, pahhhhhhs!!

Bem, para quem quer viajar, infelizmente, a não ser que sejam átomos de cálcio, não há ainda tele-transporte possivel...

Eu sou muito medrosa...a mim ninguém manda por fax para lado nenhum!! Por alguma razão me deram pernas! E, quem sabe, um dia, serei como o herói Hiro e serei mestre do espaço-tempo) mais facilmente me torno mestre de biotecnologia, mas pronto...). Embora o super poder mais fixe seja o de regenerar e conseguir nunca morrer e, ainda, enfiar no lugar costelas saídas, devido a uma queda de um qualquer 6o andar. Ler mentes também não era mau. E já agora, controlá-las, faxavor. Num universo alternativo, sou assim.:D

Vani disse...

Em fast forward, claro (não, essa série ainda não estou a acompanhar, mas está gravada, à espera...).

Nawita disse...

Vani,

Pera lá, dentes nas costas das pernas? Não sabia que podíamos ter isso! E eu quero dentes nas costas das pernas! Para comer relaxada enquanto leio um bom livro!

O Hiro é um herói altamente.
Regenerar-me e viver para sempre é que não. Isso dá muitos episódios e as cenas repetem-se e chega a uma dada altura o publico deixa de assistir à série e ficamos no desemprego ou a animar seminários dos Alcoólicos Anónimos, ou dos actores has been com doenças venéreas.

Ler mentes também não quero, para aturar parvoíce basta a que vai na minha mente!


queres um golden retriever??

A disse...

vocês algarvias entendem-se de uma forma que eu não consigo acompanhar...

Nawita disse...

A,

Como não? Estamos a falar de viagens no tempo, super heróis, livros, dentes, cães fofinhos e adoráveis para adoptar...

Vani,
Esta conversa deu-me saudades dum bom livro de Crichton ou Robin Cook!
Tenho que acabar os livros sobre terrorismo ambiental para ler um deles!

Vani disse...

Nawita, eu gosto mais de terrorismo biotecnológico iihihih. Mas não tenho tido muito tempo para ler. Aiiiii, robin cook é uma tara!!! :D oh pah, eu quero viver para sempre. Tenho um medo da perda de autonomia e auto-consciencia que me pelo. Não quero desaparecer. Não querooooooo!
Ok, ler as mentes, realmente...prever a chave do euromilhões, então! Assim já podia construir uma máquina de faxes humanos!! partindo do principio que saberia fazê-lo, claro...

ò, A, não entendes porque não queres!! isso é inbejinha de termos a praia aqui ao lado... :D

A disse...

eu sempre tive praia ao lado! era é água fria, que nos gela a alma.

Nawita disse...

Vani,

Já leste James Rollins? Se não conheces assim que tiveres tempo arranja livros dele, são espectaculares. Mas aviso-te já que o capitão Pierce é meu!

Bom está bem, não morras vive para sempre, e se ganhares o euro milhões lembra-te que sempre te apoiei e estou neste momento a enviar para o universo o desejo de que te tornes imortal e trilionária.

Nawita disse...

A,
Gelam a alma mas fazem maravilhas à pele e aos ossos.
Enfim acho…