domingo, julho 15, 2007

Gajas precisam-se para tratamento ortopédico

Desde que vim estudar para Coimbra perdi muita coisa. Perdi o amor-próprio e o próprio amor. Também perdi a pronúncia, trocando-a pela bastante insonsa pronúncia coimbrã.

Recentemente numa consulta de Ortopedia num qualquer hospital do Douro Litoral, um médico disse que eu tinha uma hérnia discal, e que essa era a razão de umas dores que tenho tido na perna. Bem, o que é que isto tem a ver com a primeira parte deste post. A resposta é, palavrões!

Ao permanecer durante tanto tempo no ambiente linguisticamente asséptico de Coimbra, dei por mim a reparar que realmente se dizem muitos palavrões na minha terra, sem haver qualquer tipo de contenção quando o interlocutor é um completo desconhecido. O que me levou a estranhar consideravelmente a postura do médico quando ele me descreve o tratamento que tinha de fazer para curar a enfermidade.

“Dê umas fodas com gajas boas!”

Foi este o conselho para tratar das costas. Acrescentando “mas elas que fiquem por cima, para verem o que custa”. Não era nada que eu já não estivesse à espera, porque depois de uma consulta a ouvir coisas como “Tem uma hérnia discal na coluna... não é na gaita não.” uma pessoa já conta com tudo.

No entanto o médico tem razão, a dor começou a aparecer quando eu deixei de fazer profilaxia...

Tenho saudades de dizer mais palavrões, é um comportamento que cria laços. Eu sinto-me mais próximo deste médico, do que de pessoas que conheço há anos.

12 comentários:

A disse...

este post só existe porque o linguisticamente asséptico o_karamelo devolveu-me a esperança que tinha no mundo

Anónimo disse...

Esse o_karamelo é de facto muito bom a devolver esperanças!!! :)
Fazem falta em Portugal mais médicos assim!Com toda a certeza seríamos um país de gente mais optimista, feliz e exercitada!!!
Uma passagem pelo Brain todas as semanas também faria milagres contra certas maleitas!

o karamelo disse...

A implicação de que o ambiente conimbricense é de vulgaridades privado deixa-me algo melindrado, com os diachos! Fico totalmente aborrecido, com a breca! Dá-me vontade de trazer ao mundo todo um chorrilho das mais vis palavras, acossantes do bem estar existencial e social do indivíduo (como ser seguidor das boas políticas sociais)

A existência deste médico cria nas nossas mentes toda um novo paradigma, uma nova classe de médico que antes não existia, uma quimera situada entre o popular e o académico, que é deveras fascinante, e intrigante...

Ou seja, por outras palavras, lol post

utopias disse...

eia bem..
divinal ainda bem que a malta é jovem pq qd for velhota já estou a ver o que o médico vai receitar..
(ainda por cima no norte.. ui)

LOL

Josue disse...

Pelo menos não é um médico idiota como alguns.

Anónimo disse...

Ah, caralho! Atão isso quer dizer que chamar-te filho da puta todos os dias não é insulto?

E afinal, "bom fds" é realmente "bom foda-se"!

A disse...

é curioso que menciones isso, anónimo. já reli o que escrevi várias vezes e em parte alguma vi referências a insultos.

Anónimo disse...

Tenho duas versões para a minha resposta:

>>Versão 1:
Caralho!

Mas quem é que falou em insultos, foda-se?

>>Versão 2:
Bons dias!

Yah.

Anónimo disse...

Este post podia ter sido colocado mesmo num jornal de grande tiragem:"gajas precisam-se para tratamento ortopédico"

Tenho a certeza que te resolviam o problema rapidinho. A questão é se estarias disposto a arranjares outro, como teres de pagar pelo tratamento!
De kk das formas um post com muito in dept...Resta agora saber se vais seguir o conselho...

take care!

Nawita disse...

lindo!!!
a minha médica de familia também aconselha sexo para curar tudo e mais alguma coisa!
Não digo muitos palavrões, mas a verdade é que por vezes apenas um bom palavrão pode exprimir o que sentimos ou queremos.

A, percebes agora porque é que de vez em quando faço umas excursões pelo vosso blog? fico logo de bom humor :)

A disse...

uma coisa que reparo em coimbra é que as pessoas não sabem dizer os palavrões. não sei se é por falta de à vontade, ou simplesmente por terem demasiado entusiasmo em os dizer para serem "fixes". mas sinceramente não vejo mal nenhum nos palavrões, até porque como somos habituados desde novos os palavrões deixam de o ser. mas não se confunda isso com insultos, que é coisa que a gente leva muito a sério.

quanto a andares a vasculhar o blogue, não tenho nada contra, até fico um pouco "orgulhoso" por te dar vontade de ler o que está para trás. há coisas que escrevi que gosto bastante, outras muito pelo contrário, mas no geral acho que podia estar bem pior :) se quiseres comentar também estás à vontade, eu sei de tudo o que aqui se passa! :p

Nawita disse...

Já tinha reparado :) vou comentar!!

Podes ficar orgulhos, têm aqui um espaço engraçado.